12/22/2006

um post de Natal

3001! Abri este humilde bloguinho e o contador marcava 3001! Portanto a pessoa que cá veio imediatamente antes foi a 3000. Acuse-se, inúmero e incontável (neste caso, contável, pois!), para que possa entregar-lhe o prémio respectivo. Eh eh eh!

Em primeiro lugar, quero agradecer aos meus inúmeros e incontáveis a gentileza com que se acotovelaram neste exíguo cantinho a fim de me darem os parabéns, assim como aos meus dois primorosos rebentos. Foi bom sentir o calor da blogosfera no meio deste frio polar e, apesar de se terem a modos que confundido com o aniversário do gaijito, a malta ficou contente. A todos, obrigada!

Às 04h17 desta madrugada fez um ano que a gaijita pecanininha se esgueirou cá para fora, toda enrodilhada em mais de noventa centímetros de cordão umbilical "anormalmente comprido e fino" nas palavras do meu querido médico que fortunadamente se encontrava de serviço naquela noite de solstício e fez a gentileza de aparecer à hora h no quarto onde eu fazia uma dilatação meteórica.
Quanto a mim, naquele momento, já perdera completamente a estribeiras e berrava que me dessem a epidural ou eu própria arrancaria "aquilo" (falo das duas cintas do CTG e seus respectivos rachtaparta de sensores). Ao que o meu querido doutor respondia com a sua fleuma quase britânica: "Oh minha querida, a estas horas vai ser difícil trazer um anestesista cá acima."
- Então dêem-me morfina!
- Mas isso está assim tão mal? Ainda agora foi observada e só tinha dois dedos...
- Doutor, eu já tive um filho antes. E digo-lhe que não tenho dois dedos. Talvez nem quatro...
- Deixe lá ver... Ah, pois é, isto já vai em sete, não, oito! Faça só um bocadinho de força…vai nascer! Sras enfermeiras, preparem já a maca e a sala de partos!
Poucos minutos depois, num ambiente tipo E.R., o médico perdia a sua proverbial fleuma para gritar que eu parasse imediatamente de fazer força enquanto berrava às três enfermeiras que lhe trouxessem sei lá o quê. O pânico era geral: a mini Calamity não tinha uma circular. Tinha três. E não era no pescoço: era no corpinho todo. Em boa hora o meu querido personal doctor resolvera passar lá pelo estaminé a ver se a Calamity estava a aguentar firme os supostos dois dedos de dilatação, entretanto promovidos a dilatação completa enquanto o diabo esfrega um olho, ocitocina oblige. Escusado será dizer que o bom do homem libertou a minha princesa em poucos segundos, ma colocou na barriga enquanto garantia que a mecinha era cá das rijas e logo a levaram, rachtaparta estes hospitais da treta que garantem ser amigos dos bebés e depois os deixam por três horas longe das mães ao mesmo tempo que garantem às ditas recém-paridas, doridas, expectantes e duvidosas - e traumatizadas na sequência de um susto do caraças! - que “está tudo bem, ela está só a aquecer um bocadinho”.
- Então por que não ma trazem, que ela aquece junto à mãe, que é onde deve estar?
- Descanse lá um bocadinho, que já a trazemos.
Pois. Sete da matina. Finalmente a princesa chega, toda encolhidita no seu body de hospital – que nem foram capazes de mandar pedir a roupa dela, enfim, adiante… - para a sua primeira mamada. Tudo corre bem. Vejo-a pela terceira vez, agora mais calmamente, eu própria mais consciente. E estranho-a, que estranho. Tanto quanto reconhecera o irmão, oito anos e nove dias antes, como se sempre o tivesse conhecido. Estranho-a a tal ponto que tenho medo de ter sido enganada e que algo se passe com ela. Algo de errado, de terrivelmente errado. Algo que me deixa tão angustiada que até tenho medo de o verbalizar. E quando o médico aparece para nos visitar, antes de sair de turno, pergunto-lhe, a medo:
- De certeza que está tudo bem com a minha filha, doutor?
- Claro que sim, é linda, a sua filha, mas porquê, o que é que a está a preocupar?
- Não sei, ela… tem cara de chinesa…
- Então e você, tem cara de quê?
Bom. Sendo assim… Claro que a miúda não tinha nada, eu é que tinha as hormonas aos tropeções, o cansaço e a emoção ao rubro e ela tinha nascido menos “acabada” que o mano. Mais amorratada, enxovalhada e vermelhusca. Ao passo que ele, o único recém-nascido que eu tivera anteriormente, lisinho, lindo, um bebé “feito”. Enfim, pancas de parturiente.

A Calamityzinha pecanininha está com um ano e lindona como o seu manãozão grandalhão bonitão que fez nove (oh, meu deus, como pode o filho ter nove anos?!!!!) há dias. Um dia destes contarei sobre o nascimento dele, se vier ao caso.

Tudo isto era só para dizer que ver crescer um filho é maravilhoso. Ver crescer dois é grandioso. E longe de querer transformar este estamine num babyblog, hoje apeteceu-me partilhar isto com os meus inúmeros e incontáveis. E agora vou ali e já venho.

Feliz Natal a todos! Oh oh oh!

17 comentários:

Luisa disse...

Muitos parabéns à clamityzinha piquinina mas muito valente!

Feliz Natal

Beijinhos

AEnima disse...

ola! Vim devolver miminhos... e ja sou tua leitora ha muito tempo. E nao ha duvida que este foi dos melhores posts de natal que tenho lido... o nr um mesmo foi uma amiga que acabou de parir ela propria.

Calamitizinha... e quando esta blogosfera conseguir transmitir sensacoes nao visuais?!? Tu mandas-me o bacalhau e eu faco-te uma feijoada ah brasileira, que deves gostar de certezinha! E prometo que a minha eh boa!

Beijocas saborosas e miminhos para os calamitizinhos pecanhinhos

Cara D'Anjo Mau disse...

Ah valente. O Natal foi nascimento de alguém especial. O Natal é a família. O Natal somos nós + os outros = todos juntos. O Natal pode fazer sentido.

Loira disse...

;) Q parto tão familiar... à excepção da circular, claro. Senão vejamos:
1) A oxitocina;
2) Os gritos;
3) O desejo da morfina, pela epidural que não chegava (no meu caso, chegou aos 6 dedos, q a minha dilatação relâmpago);
4) O bebé q ficou longe de mim durante 2 horas, p/ aquecer :(;
5)E q, por isso, só mamou pela 1ª vez 2 horas mais tarde.
6) O babygrow do hospital... com isto nem me chateei mto. Achei mto democrático chic! LOL
Enfim...
Beijos gigantes e feliz Natal p/ boceses.
(Adorei mto, mto. aliás, é smp um prazer ler-te)

rutebruno disse...

Lindo...
um beijo grande para ti

Ck in UK disse...

3048!
parabens a calamitosa senior e a junior tb!

Luisa disse...

Desejamos um Feliz 2007 repleto de amor, saude e alegria!

Muitos beijinhos

Luísa e Martim

Mamã P. disse...

Parab+ens (atrasados mas sentidos) à Calamityzinha e à sua valante mamã!! E que bela prenda de Natal antecipada!!

PS - Gostei muito deste post tipo baby blog :D

Óptimo Ano Novo para vocês!!!

Mãe Frenética disse...

Oh mtos parabéns atrasados!!

Tenho saudades vossas...

Beijos grandes

rutebruno disse...

quem é epecial tem direito a votos a dobrar!!!!
gosto de ti, muito, aparece de vez em quando, pois sinto a tua falta!
Um excelente ano e um beijo do tamanho do teu coração

C_mim disse...

Xiiii... quela na posta à buéééésss...

Bom ano 2007. Não sei o nome do blog da rita...

Luz de Estrelas disse...

:) Ai que gostei tanto de te ler. Mas hoje faltam-me as palavras. Beijos às chinesas e ao borracho de nove anos!

Amélia do Benjamim disse...

Imagino-me varia vezes com a tua estranheza. Quantas me passou pela cabeça a estranhza que seria ter a minha cópia(zinha). Lolll
Não, os médicos ainda não conseguem ver só pelo olhar que estamos lá, que estamos quase lá...
Double parabéns!!
Beijinhos

125_azul disse...

Ah minha querida, não tenho perdão por não te ter citado no meu post de Natal para animar aenima e depois ainda faltar ao nosso almoço, que fiasco! Mas olha, é por uma boa causa, ainda estou no cativeiro, na engorda do ovinho... Adorei o teu post, estava mesmo aprecisar de uma linda história destas... maravilhoso 2007 para ti e crias.

Carla & Repolha disse...

:) Não deixa de ser curioso esse não reconhecimento sendo a tua cara chapadíssima, íssima, íssima.

Há horas mesmo muito felizes. E esse aparecimento do teu médico foi uma delas.

Excelente ano de 2007 para ti e para esses dois lindões.

Beijos mil

Cool Mum disse...

Parabéns, e Feliz 2007 (q'agora nã me ocorre mai nada)
Kiss

Sandra J. disse...

"Cara de chinesa?"
Tu nem me digas que és daqui de onde eu estou...
Tenho muitas saudades de te ler.
Espero que esteja tudo bem contigo e os filhotes.
Bjs grandes daqui para aí...