3/22/2005

bem vindos ao meu blog, apareçam quando quiserem

olá

Há já algum tempo que eu queria criar um blog. Pois cá está. O pretexto foi responder a um comentário num outro blog (http://soscinemaeuropa.blogspot.com/2005/03/iniciativa-para-sbado-abaixo-assinado.html), daí o nome de atena3, que, aliás, era pra ser atena (em resposta à afrodite). Mas, lá está, como sou nova nestas andanças, atrapalhei-me e só consegui à 3ª... mais vale tarde...
Enfim, não é mau de todo, até porque a rádio que costuma estar ligada no carro... ok, adivinharam.
Mais lá para a frente, irei mudar para um nome mais personalizado. Para já, o que eu pretendo é ter um espaço onde possa escrever, publicar escritos que nunca o foram ou que foram alterados (pois é, sou jornalista; pelo que tenho visto, somos muitos e cada vez seremos mais. Todos temos em nós um pouco de escritor "frustrado". Os blogs são muito úteis para que possamos ser ouvidos, ou melhor, lidos. Pelo menos, assim o espero), mostrar imagens que nunca serão divulgadas de outra forma. Convido os (eventuais) leitores a fazer o mesmo. Este espaço será democrático, mas como digo no início, esqueçam lá essa história dos insultos, está bem? Há muitos outros espaços onde fazê-lo. De resto, poesia, prosa, informação, denúncia, protesto, desabafo, correio sentimental, crítica, criatividade são bem vindas. Cá vos espero

1 comentário:

byPepper disse...

Ok, parabéns para mais um blog q promete!
Eis aqui a prova vi(rtual)va de como afinal a publicação, ou um género de "o jornal que nunca terei", ou simplesmente "tudo o q nunca consegui dizer bem alto durante o tempo suficiente para q me pudessem ouvir", pode ser concretizada.
Hoje, dia mundial da àgua, surge mais uma aposta nas vozes que pretendem mais que mudar, melhorar o Mundo em que vivemos.

"...
Há um rio que corre e escorre por mim, que já foi ou será de todos vós, água, tudo aquilo que mais nos devia dar a preocupar, limpa. O ciclo que leva mais que a nossa própria existência a rodar por este ínfimo espaço em tão largo universo e isso diz-nos tanto. Água! Fonte sã das luxúrias de tanto devaneio em tanto tempo por aí perdido, somos tão pouco em tanto tanto!..."

Um abraço molhado.