6/01/2007

O grande salto epistemológico provocado pela leitora de nome Ana Paula (Olá, Ana Paula!)

Que estranho é pensar que há pessoas que nos lêem e que a gente não conhece! Pronto! - pensam os meus inúmeros e incontáveis - passou-se! E não é da própria essência da blogosfera sermos lidos(as) por pessoas que não conhecemos? Que não nos conhecem? Aliás, coisa bizarra para se pensar quando se faz profissão da palavra escrita e se é inevitavelmente lida por numerosos (aqui sim, inúmeros e incontáveis) leitores- passe a redundância.
Mas o ser pensante é por vezes assaltado por ideias esquisitas e aqui a vossa Calamity não prima pela normalidade. E foi precisamente o que me aconteceu quando me apercebi que era lida por uma blogueira de tasco privativo, de seu nome Ana Paula, que para mais foi brindada por alvíssaras dado ter sido a leitora nº 5 mil deste estabelecimento. Dei por mim a pensar: "Olha, uma blogogaija que não conheço! E que não está aqui pela primeira vez, já que confessa gostar de me ler. Xa-me cá ver o estaminé dela...". Pois. "A ligação html que acaba de digitar pertence a um tasco cibernético de carácter privativo, pelo que só com internáutico convite poderá aceder aos seus mui particulares interstícios e meandros"...
E eis senão quando a vossa Calamity dá por si tendo este brilhante pensamento: "Olha, olha, a gaija lê-me, e eu não a conheço!"
Claro que logo a seguir um dos meus alteregos, um dos grilinhos que com frequência irregular me chama à razão vira-se para mim e diz-me: "Oublá oh minha grandecíssimima desmiolada! Atão tu não bês que a maior parte das pessoas que te lêem são de ti totalmente desconhecidas?! Para que queres tu os neuroniozitos? Não sabes tu que os respectivos têm por função estabelecer sinapses? Que parte das ligações cerebrais te terá, porventura, escapado?"
E de imediato a vossa Calamity contrapõe ao censurante mecanismo do seu superego argumentando: "Pois". Assim só: pois. Mas logo de seguida, e não contente com a pobreza intelectual de tal argumento, a brilhante pensadora que por vezes toma o lugar da vossa Calamity ultrapassou o momento de bloqueio epistemológico e rebateu: "Pois. Mas julgava eu que todos os meus inúmeros e incontáveis leitores desse lugar de troca que é a blogosfera deixavam, num momento ou noutro, o seu rasto sob a forma de um comentário, a não ser que não passassem de meros viantantes cibernéticos, daqueles que cá vêm parar por aleatória ligação e, não encontrando neste tasco qualquer motivo de permanência, se eclipsam para não mais voltar". Ou seja, ao deixarem inevitavelmente assinatura blogosférica, permitiriam sempre, mais tarde ou mais cedo, que eu os CONHECESSE (Sim, inúmeros e incontáveis, admito que este conceito de CONHECIMENTO seja discutível estou pronta para argumentá-lo convosco se assim o entenderem...) "Julgava eu que assim era", pensou a vossa humilde Calamity, num daqueles raros momentos de discernimento. E afinal, eles existem. Os inúmeros e incontáveis silenciosos, digo. Que por cá passaram mais de uma vez. Que até gostaram do que leram. Mas, por algum motivo, não se pronunciaram. Até que uma posta de delirante apelo à participação popular, tal referendo blogosférico os (a, neste caso) levou a deixar pegada.
Espanto. Afinal, eles existem. Haverá outros? Pensava que os leitores silenciosos se limitavam às páginas físicas dos jornais, revistas e livros. Que se moviam tão sómente pelos registos escritos próprios da antiquíssima galáxia de Guttenberg. E confesso que esta descoberta me deixou introspectiva. Reflexiva. Pronta para um salto paradigmático. E agora? Que revelações ainda me reservará este mundo fascinante da blogosfera? Hein????

15 comentários:

patrícia disse...

Tu não lês blogs sem comentar? É que eu leio vários que nunca comentei, ou porque nunca calhou ou porque me acho "indigna" (à falta de melhor palavra) de lhes falar. E leio vários que vou comentando mas não comento sempre.

Luisa disse...

Ainda outro dia postei sobre esse assunto. Antes de ter o meu blogue andei um ano a ler blogue sem comentar. Sempre achei que não tinha nada que comentar a vida de pessoas que não me conhecem de lado nenhum. Mas entretanto fui perdendo essas manias e cá ando.

Beijinhos

Loira disse...

Já viste? E, se calhar, até podem ser inúmeros e incontávies leitores (gajos, mesmo), como tu smp quiseste ter... ;)
bj*

125_azul disse...

Ah eu também comento sempre os tascos que frequento, menos quando o Blogger está amuado ou com TPM e não permite...
Pois também não tinha dado conta que há os silenciosos, até porque não tenho aquela coisa que conta as visitas reptidas, só sei o número das visitas de perfil. Na verdade, 'xa lá ir a correr ao meu tasco, porque há que séculos não vejo o meu número, será que já cheguei aos 5000 como tu? Não creio...
Já há foto do Azulão com o colesterol a subir, agarrado às "febras". Beijinhos, bom fim de semana.

Cool Mum disse...

É mesmo nada como realmente...
;)

Melões Melodia disse...

Tenho que confessar que lia o teu e outros que tais muito antes de os comecar a comentar. Apesar de tudo acho que so duas pessoas que leem o meu e que me conhecem e eu conheco-as. As outras, vou conhecendo!

Ana Paula disse...

Por vezes não comento porque tenho o meu "tasco" interdito e entendo o que dizes. Foste lá espreitar e deste com o nariz na porta.
É apenas por esse motivo que não comento.
Talvez volte a abrir para o mundo...
Um beijo e obrigada

Luz de Estrelas disse...

:) São muitos mais do que o que imaginas. Eu própria tb sou leitora de muitos blogs que não comento. Porque não comento, perguntas tu? Porque nada tenho a dizer à pessoa. Ou porque tem tantas comentadoras que nem me veria, ou porque acho que nada lhe levaria de novo. Sinceramente, essas que leio em silêncio, apenas me preenchem as vontades literárias e não me apetece conhecê-las. Outras acho que nem sequer gosto delas, porque me parecem azedas ou más, doces, arrogantes ou fúteis demais demais, mas leio-as como quem lê um livro, alheada da sua realidade. Digamos que, nesses casos, pouco importa o que penso delas, desde que goste de as ler.

Cristina disse...

Já agora, também gosto de te ler.

Bjos

Cristina

Ana Sousa disse...

Pois então aqui vai: eu sou dos que lê e não comenta "pq se sente indigna" (como disse a patricia). É q tu a escrever és muiiiito á frente!

:)

Amélia do Benjamim disse...

Bem, acho que ali a Luz já disse tudo o que ia dizer, mais que o teu 'tasco' e as tuas 'postas' são incontornáveis!
Loool

Estávas a prever, sim? ainda há dias te enganavas nos números, pensando que era pra breve... LOOLl
olha, provavelmente, quando chegares aos 10 000 terás outro dito salto epistemológico, quem sabe? e aos 15 OOO... outro.
Beijinhos

Luz de Estrelas disse...

Pena é escreveres pouco, essa é que essa. Tb tenho dado saltos epistemológicos parecidos. Só que, paradoxalmente, tenho saltado para trás. Quanto mais ando nos blogs, mais sei de mim própria em relação aos blogs e aos outros. E menos me apetece continuar com as minhas restrições. Há algo de terrivelmente vazio na escrita. O que temos que escrever e a quantidade que nos sai para o papel não batem certo. Muitas vezes, pelo facto de estarmos a ser lidas por outros, tira-nos o que há de mais puro na espontaneidade. Porque acabamos por cair nos terríveis vícios da realidade, os jogos de poder, o "eu faço" "eu tenho", "eu quero que me elogiem", "eu hoje não quero que me contrariem" ou "vou cortar o pio a estas gajas, que estou de mal comigo e é a minha forma de vingança". O meu texto de hoje foi a prova disso. Do que, por vezes, me incomoda abrir a minha caixinha mágica.

Rute Borges disse...

Minha querida, na maioria das vezes comento, apenas não o faço, quando axo que está tudo dito, como é o caso de hoje, que axei uma autentica perfeição!
um beijão

Ck in UK disse...

ouve la, claro q ha pessoal q nao se confessa ! maior parte do pessoal no meu canto nao se confessa....
e depois ha os q se chegam a frente e q mais valia terem ficado calados....

manda mas e um mail a ana paula e pede-lhe q te convide a ver o blog dela!

Mãe Frenética disse...

E aqueles q tu ate comentavas e tu visitavas e de repente, porta fechada?? Ahn??

Sim, isso é q sao surpresas!... :))

Deixa lá, querida, é a vida.
Por essas e por outras é q nao ha fotos no meu blog. Nao sei quem anda por lá. Olaré!