4/20/2006

Hoje é o último dia

da minha "licença de maternidade". Assim mesmo, com aspas. Com muitas aspas. 120 dias em que devia ter estado a 100% com a minha filha e em que tive de trabalhar para podermos todos sobreviver. Porque há oito anos que não consigo exercer a minha profissão normalmente e tenho de aceitar tudo o que aparece não vá amanhã faltar. Será que tenho mesmo? Ou meti na cabeça que tenho? Será que vale a pena chegar ao último dia da minha licença de maternidade e sentir-me tão exausta que só precisava de entrar de férias já... ou de baixa? Será que faz sentido ir amanhã assinar um contrato para um trabalho mais estável mas que no entanto não corresponde ao que eu realmente quero só porque é "uma oportunidade" e porque "os tempos estão difíceis"? Será que vale a pena estar a esgotar os meus recursos físicos e psicológicos fazendo 10 coisas ao mesmo tempo quando na verdade deveria ter um único emprego e algum tempo para estar com os meus filhos e para mim, nem que fosse simplesmente para ir ao cabeleireiro ou comprar uma peça de roupa? Será querer assim tanto querer que as coisas sejam normais, apenas normais?

10 comentários:

Mãe Frenética disse...

Tudo vai passar.

Um beijinho.

Carla & Repolha disse...

Li-te ontem e não consegui comentar... Ainda não consigo. Mas queria deixar um grande beijo apertadinho e prometo ainda comentar entre hoje e amanhã.

Loira disse...

:( Eu gostava de ter trabalho... e tb tenho a pretensão de ter um q goste... infelizmente, não tenho a força para lutar por ele.
Relaxa, ás vezes, as coisas acontecem por alguma razão... digo eu...
bj*
(Achei engraçado o q disseste do *)

Zuza disse...

entendo-te MUITO bem.

(para 1ª visita foi... intenso!)

Céu Estrelado disse...

Não pedes muito, tens todo o direito a essas interrogações...realmente está tudo muito dificil, e dificil encontrar algo de acordo com o que se queira fazer. Já pensaste em aceitar esse trabalho que te ofereçe melhores condições e entretanto continuas em busca do teu sonho?
Pensa nisto e não desesperes!
Beijinhos e bom fim de semana! :)

Luz de Estrelas disse...

Bem gostava de tb ter um pouco dessa normalidade... É que tb passei a minha mísera licença (três meses) toda cheia de remorsos por estar a faltar ao trabalho, com medo que outro ser qualquer, mais disponível, me passasse uma rasteira e me ficasse com os tostões. Já nem sei se é certo ou errado termos de nos preocupar com isso. Está na moda fazerem-nos sentir que é um grande favor darem-nos trabalho? Sei que tanto nós como os nossos filhos mereciamos algo melhor.

Zuza disse...

;)

rutebruno disse...

como sei a que te referes...
A minha licença terminou ao fim de 3 meses, que já foi qq coisa e porque queria muito aceitar aquele trabalho mesmo que fosse provisório...
Por vezes temos de fazer sacrificios e pomos em causa se os deviamos ter feito ou não...
Nem eu sei te responder ao certo a essa questão.
Gostava de te dizer para deitares tudo para o alto e ficares junto aos teus filhos, mas não consigo, talvez tenhas mesmo que aceitar esse trabalho e nuca perderes a garra de continuar a lutar pelo teu sonho, embora mais devagarinho.
è o que eu estou a fazer, mas não significa que esteja certo.
Acho que não te ajudei, pois não?

Carla & Repolha disse...

Tudo o que escreves já pensei. Muitas vezes. E penso muitas vezes.
Agora a grande pergunta é "e serias feliz com a normalidade?". Serias capaz de ser uma mãe inteira mesmo que partida aos mil bocados? Uma mulher apaixonada ou uma pessoa com vontade? Claro que isto é muito bonito, mas qd as contas aparecem ao final do mês não tem graça nenhuma... Quero acreditar que qualquer coisa vai mudar na tua vida profissional! Acredita comigo para que seja mais forte...
Um beijo enorme.

Carla & Repolha disse...

a moça tem e-mail???