9/22/2006

Acham isto normal???

Na Rua Ferreira Borges, principal artéria (gostaram da "artéria"? lindo, não é? é como o "esférico", vocábulos que me enchem a alma de satisfação e o umbigo de orgulho, por tão profícuo - eu ultimamente ando particularmente amiga do "profícuo" - e egrégio uso do nosso vasto idioma - do "idioma", então, nem sei se vos diga, se vos conte! - mas adiante!)
O melhor é recomeçar, que os meus inúmeros e incontáveis a esta hora, ainda por cima em dia sem carros - imagino-vos todos (todas!) a andar a pé, a encher os nossos autocarros, as carrugens do metropolitano... mas, enfim, adiante, de novo, que isto hoje está grave. A hemorragia mental escorre por todos os lados. Ou será verborreia? Bah! Deixem lá! Eu fico assim quando tenho um trabalho para fazer e ando a ver se me esquivo. A propósito, lembram-se daquele poema do Fernando Pessoa... Não, a sério, estava a brincar. Ou melhor, estava a brincar. Agora a sério. Do início.

Dizia eu portanto que, (eu sei que aqui não devia haver vírgula, mas é só para marcar aqui uma pequena pausa e centrar-vos de novo na minha linha de raciocínio. Pronto. Já está tudo a seguir-me? De certeza? Então lá vai:

Na Rua Ferreira Borges, principal artéria do Bairro de Campo de Ourique, em Lisboa (há que contemplar os inúmeros e incontáveis dos arrabaldes, não é verdade? explicando-lhes onde fica Campo de Ourique, que os inúmeros e incontáveis, por exemplo, da ilha de Santa Maria dos Açores, não são obrigados a saber, certo?), podemos desde o dia 20 de setembro - vinte observar toda uma parafernália de camiões equipados com gruas, cada qual operado por dois trabalhores de uma empresa denominada "Os Castros" a instalar as iluminações de Natal. Sim, caros e caras inúmeros(as) e incontáveis, vocês leram bem e não, caras e caros (agora ao contrário) inúmeras(os) e incontáveis, a vossa Calamity não teve alucinações, não sonhou, não andou a fumar daquelas coisas que fazem (quando ingeridos por certos organismos mais sensíveis e quando de qualidade excepcional, é verdade) ver coisas que não correspondem exactamente àquilo que lá está. É verdade. Verdade, verdadinha, tão verdade como eu estar aqui neste momento sob a forma de holograma a escrever este post a partir do planeta Júpiter.
Podemos, pois, inúmeros e incontáveis (e vice-versa, pronto, vocês já sabem, esta minha cena dá prós dois lados, meninos e meninas, gaijos e gaijas, parramecas e pilinhas, coisa e tal e tal e coisa...) deduzir que o nosso bem-amado presidente da junta, perdão, da câmara terminou finalmente de pagar as pouquinhas (coisa pouca, mesmo, quase nada) dívidas da dita e pôde enfim direccionar as vastas somas da edilidade para fins mais nobres e bem mais urgentes? Ou passou-se algo que eu, do alto (deverei antes dizer do baixo?) de minha parca e limitada inteligência não atingi? Haverá lá coisa mais importante e imediata para a Câmara Municipal de Lisboa fazer do que mandar instalar as iluminações de Natal a três meses e cinco dias da efémeride que marca o nascimento de Jesus Cristo? Quem serão "Os Castros"? Já agora, alguma relação com a Inês de? Por favor, esclareçam-me.

Ah. Feliz Natal.

15 comentários:

Luz de Estrelas disse...

Não estivesse eu outra vez acometida pela tristeza alheia e tinha-me rido a bom rir. Meu Deus, se ainda mal saimos do Verão! Terá sido alguma promoção? Ilumine as suas bolinhas de Natal em Setembro e pague metade?

Mãe Frenética disse...

LOLOL!!

Feliz Natal!
E Boa Páscoa!

Caracoleta disse...

Parramecas???
Eu também acho que é alguma promoção.
Será que "Os Castros" são tão famosos e tão requisitados que estão ocupados até ao Natal??? Por isso Lisboa teve que aproveitar agora. Ou serão os saldos?
Se fossem "Os Crastos" eram cá da terra..."Os Castros" não conheço!

Cool Mum disse...

Pois fica sabendo que nessa bela rua de Lisboa é habitual, todos os anos... depois só as tiram na altura do Sto António.
Vá-se lá saber porquê?

125_azul disse...

Não percebes nada: Os Castro ganharam o concurso público para iluminar o país todo, continente e ilhas e começam por Lisboa que é a capital; o país é grande, devem chegar ao Pico só lá para 23 de Dezembro...

Assim já te parece bem? Agora empresta daí um lencinho, que eu chorei de tanto rir com este post.
Beijinhos, bom fim de semana

Loira disse...

:-) Na Ajuda, em Outubro, tb já costuma haver decorações de Natal :s.
Eu, por acaso, tb gostava de ter ganho um concurso (mesmo q público) assim como os Castros, mas, infelizmente, não tenho sorte ao jogo!
bj*

Cara D'Anjo Mau disse...

Só faltava que estes Castro fossem os famosos mitos do desporto nacional "Os manos Castro".
Como sabeis instalações eléctricas com tempo chuvoso talvez não seja a mistura mais aconselhada vai daí Os Castros zelosos pela saúde dos seus assalaridados toca de aproveitar o bom tempo.
Aproveito o mote e desejo um desde já umas boas entradas no ano novo que se avizinha e como alguém já referiu votos de uma Santa Páscoa.
Não é só o tempo que está mudar também as épocas festivas o ameaçam. Preparem-se.

125_azul disse...

Vim só dar um bjinho solidário pelo falecimento precoce do teu telelé...

Ck in UK disse...

Parti-me a rir com este post. muito bem postado.
mas olha q esses gajos devem ser ingleses. fui ao harrods este sabado e ja ta cheio de decoracoes de natal!!!!!

Sandra J. disse...

Aqui andamos a por decorações mas primeiro as de 1 e 2 de Outubro, implantação da RPC e depois de 7 de Outubro, festa da lua.
Informações muito úteis as minhas, certo?!
Fartei-me de rir com o teu post.
Bjs

matablogs disse...

Não seria melhor confirmar se a colocação das luzes da natal não é competência da junta de freguesia, em lugar da CML?
É que mandar atuardas antes de ter os factos é feio...
E independentemente das responsabilidades "coloqueiras", sabe se não sairá mais barato fazer com antecedência de 3 meses, apesar de extemporánio, do que contratar esse serviço em cima da data? É um princípio básica da oferta e procura.
Ainda falam do futebol, o desporto nacional devia ser a verborreia opinativa, o cacarejar de opinião... todos têm sempre qualquer coisa a dizer, 99% das vezes para dizer mal.
Faça lá o seu papel de cidada, informe-se e dp sim, com uma argumentação válida exponha a questão e escreva uma cartinha a quem de direito... Porque isto do nacional corte-na-casaca, é mto bonito, em todos os cafés e tascas vemos os mesmos balbúcios de indignação, mtas vezes desinformados. Mas de depois agir... blábláblá...

calamity jane disse...

Ena, ena! Finalmente temos polémica! Maledicência! Irritação! Despeito! Bujarda! "Mais um blog da tanga" de quem nada tem para fazer. "Dizer mal de quem diz mal". Ó minha senhora (infelizmente - e contra mim falo - certas coisas são mesmo de senhora, mas com s pequenino), "get a life", sim???
E já agora, aprenda a escrever em português. É extemporâneo, e não a a - como é que ela gosta de dizer, mesmo? - atuarda que eu aqui li e que nem vou reproduzir...
Pessoal! A Anónima revelou-se enfim! (Deve achar que andamos para aqui a dormir)

Horas Vagas disse...

Ó, Calamity, é que não há CU!
Ou será CÚ?

LOL

MataBlogs... Hmmm... é mais uma anónima, sem dúvida.
Traçando o perfil criminológico (diferente de criminal - logos requer conhecimento do criminoso. É grego... Eu tenho de explicar dado que a anónima parece ter lapsos verborreicos e "vocabuláricos"- adoro eufemismos!) diria que:
- Mulher;
- Quadro médio de empresa. Área de Ciências, talvez. Vamos dar-lhe o benefício de algum background académico;
- Deve ter filhos... mas... há determinados aspectos discursivos que ainda me lançam dúvidas. Vamos deixá-la revelar-se um pouco mais;
- Casada (mal, pobre "melher" - ou não teria tempo para percorrer a blogosfera, get it?)
- Aspirante a intelectual;
- Baixa auto-estima que, no entanto, se manifesta numa hiperbolação contrária;
- Necessidade de afirmação pela negativa, o que corrobora o item anterior;
- No fundo, ambiciona pertencer "ao grupo". Deverá ter sido excluída da massificação liceal, das calças de ganga elásticas, das matinés aos Sábados e dos aniversários dos "populares".

Agradeço a colaboração do meu amigo Moita Flores, com tanto trabalho autárquico, teve o mérito de me dar uma ajudinha, e agora... venham elas: as avaliações!
mais alguém quer acrescentar alguma coisa?

Luz de Estrelas disse...

Deve ser muito divertido andar de blog em blog a contrariar os outros. Que pequenez...

Anónimo disse...

"Acham isto normal??"
Olá
para mim é, mas compreendo que para o comum dos mortais, ou seja, para as pessoas que andam pelas ruas fora deste belo País á beira mar plantado, surja como algo estranho e completamente desfazado da realidade.
Realmente fazer montagens de Natal em pleno Setembro é algo que causa uma sensação de estranheza. Chego mesmo a sentir alguns arrepios na pele (devem ler esta última frase com a entoação que o Sr Marco Paulo dá á sua música. Vá lá, não venham com histórias de que não conhecem... toda a gente conhece Marco Paulo, mesmo não gostando!).
Voltando ao tema da conversinha... "Os Castros" quem são? Hã, quem são? O que é feito da curiosidade dos Portugueses? E se procurassem um pouquito na internet... até vos posso ajudar: www.castros.com.pt visitem! Pois é meu caro CK IN UK, não são imgleses, são portuguesinhos de gema, (embora façam trabalhos tb em Londres, se calhar quando esteve no Harrod´s passou ao lado de alguma coisita feito por eles) vamos lá a acreditar no que é nacional, porque o que é nacional é bom!
E realmente ganharam o concurso para iluminar Lisboa, entre outras cidades. Se começam os trabalhos em Setembro é porque têm muito que fazer e provavelmente, para atender a todos têm que distribuir os seus serviços desta forma. Além de que sendo em Lisboa, e sendo Lisboa a capital desta País, então têm que fazer por ter tudo bem feito e a horas do ligar das luzes natalícias que normalmente acontece a meados de Novembro. Se entretanto o presidente da junta contratasse a empresa tão em cima do Natal poderia correr o risco de não ver a sua pretensão satisfeita. è que quando se trabalha com a dimensão que essa empresa trabalha, tudo tem que estar programado com bastante antecedência. Mas chega de tralhuças de natal. É verdade. Muito provavelmente haveriam coisas muito mais urgentes e importantes para gastar o erário público do que em luzinhas natalícias, ainda que muito lindas. Mas saneamento público e outras obras de raiz, ficam enterradas... o povo não vê! e longe dos olhos longe do coração... depois não votam no senhor presidente! Bem, já "xega" por agora. Inté