8/02/2007

... e eu não penso senão nele - no poema

Pronto, eu confesso: vejo a Vingança. Diariamente. E quando não posso ver gravo. Há anos que não via uma novela e nunca tinha estado agarrada a uma portuguesa. Antes da Vingança segui a Senhora do Destino, e antes da Senhora do Destino, o Clone. Como podem constatar os inúmeros e incontáveis que sabem do assunto, é uma média de uma de 3 em 3 anos. Mas quando me dá, dá-me a sério e a Vingança conquistou-me. Foi um dia por acaso, calhou ser um momento crucial, a cena era empolgante, estava muitíssimo bem filmada e editada, o som poderosos e até os actores eram convincentes. O episódio era dos primeiros, e prontos: fiquei a modos que viciada na coisa. Isto para dizer que há uns dias fui surpreendida por uma cena que me comoveu. Envolvia a leitura, por uma personagem feminina, deste poema, ao personagem masculino que está apaixonado por ela. E eu, que não me lembrava dele - do poema (até porque sempre fui muito mais Álvaro de Campos que Alberto Caeiro...) - dei por mim a pensar nele. Aliás, a não pensar senão nele - no poema. Tive de o procurar e hoje venho partilhá-lo convosco.

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar. E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distracção animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero.
Quero só Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.

Alberto Caeiro

(Meu príncipe: aos 9 anos, ainda é muito cedo para sofrer por amor...)

13 comentários:

Luz de Estrelas disse...

Não conhecia esse poema. O teu filho está in love?????

Cool Mum disse...

Coisa linda!
(o poema e a paixão do rapaz..)
kiss

patrícia disse...

Lindo poema.
Quanto ao sofrimento amoroso, o meu filho começou aos 4...

Cristina disse...

Também não conhecia.
Também sou mais Álvaro Campos e o seu supremíssimo cansaço.

Bjos

Cristina

maria disse...

gosto sobretudo da banda sonora da novela..

e este poema é muito giro mesmo.

bjnho

Amélia do Benjamim disse...

A minha primeira paixão também foi aos 9 anos, mas acho que as nossas mães nem sonhavam...
LOOLl
Lindo, o teu filho.
Lindo, o poema.
:)

chiqui disse...

LINDOS (ambos, o poema e o primeiro desgosto de amor...)
deixa-o... e bom ir treinando o coracao!!
bjos
p.s.
ja tinha saudades de te ler ;)

C_mim disse...

Que engraçado de facto... andava à procura de um poema assim... vou plagiar o teu blog...

Cara D'Anjo Mau disse...

R valente.

Resiste aos abanões do coração que nem gente grande.
Gostei muito do poema.
É-me próximo.

Um grande abraço ao R.

Rubrica Brasil disse...

Lindo!
Beijocas aos xuxus.

Melões Melodia disse...

Fico contente que uma novela possa ensinar qualquer coisa.
Quanto ao Poema, nao e nada que ninguem nao conheca, qualquer que seja a idade.
Sofre-se de amor desde que se nasce. O que vai mudando e o tipo de amor.
Beijos

Loira disse...

:) lindo!
Qto à Vingança, acho q está bem filmada e gosto da edição, embora ache algusn efeitos exagerados. Em relação à história, acho um pouco inverosimel... e dps as personagens são taoooo infelizes LOL. Não há ninguém feliz e sem ser traumatizado? Vale à história alguns bons actores, mas o problema é q alguns são mesmo maus...
Gaja, ando à procura de gente q tenha tido problemas em creches e infantários para um trabalho. Conheces alguém? HELP!
bj*

AEnima disse...

Querida... nunca e' cedo demais ou tarde demais para sofrer por amor... e' disso que a vida 'e feita... e esta sempre na hora de viver!

Beijinho