3/28/2008

Apesar de você

Dedicado a quem servir a carapuça

atentem na letra, é de 1970...

Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Falando de lado
E olhando pro chão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
Toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar
O perdão

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder
Da enorme euforia
Como vai proibir
Quando o galo insistir
Em cantar
Água nova brotando
E a gente se amando
Sem parar

Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido
Esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear
De repente, impunemente
Como vai abafar
Nosso coro a cantar
Na sua frente

Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Você vai se dar mal
Etc. e tal

(do lindíssimo Chico)

15 comentários:

. disse...

É uma letra linda e triste. A mim não me coube. Talvez já me tenha cabido um dia. Luz

calamity jane disse...

Nem tão triste assim, Estrelinha. Ouviste a música? A mensagem é de esperança. Em relação a caber ou não caber, a coisa vale a nível micro e macro... Grande Chico!

Pitanga Doce disse...

Calamity, não sei se sabes a história dessa música mas ela não foi endereçada a alguém em especial e sim ao Governo no tempo da Ditadura no Brasil. E na época foi sensurada, só vindo a público depois. Mas serve para qualquer circunstância em que alguém se sentir oprimido por alguém. Até no amor! Como não?

beijos outonais e quem chegou lá em casa foi o Ivan Lins.

Mãe da malta disse...

CJ precisamos de uma revolução, é isso, não é?

E já vamos tarde.

Madalena disse...

Também acho este poema cheio de esperança, Cê Jane! Tem tanta espearnça que deve ser usado em terapia e sobretudo em casos amorosos. Desmascara a arrogância. É tão bom, o poema. E o Chico é tão lindíssimo. Beijinhos, Cê! Se vires por aí o Chico, dá-lhe também um beijinho meu!

Melões Melodia disse...

:( depois de 50000 refreshes so vejo floes amarelas que nao me deixam ler o texto!
Beijos

. disse...

Tem partes que me provocam tristeza. Antes dessa esperança há um processo de sofrimento em que todos nos revemos. Ainda não ouvi. Entrei pelo tele-treta. Luz

Amélia do Benjamim disse...

Que fazer com a Esperança quando temos em mãos caixinhas de Pandora, no meio da tristeza?

Neste momento, neste preciso momento, e lugar, estou mais apreensiva que esperançada!...

perola&granito disse...

Bom fim de semana.

AEnima disse...

Que a tenham enfiado bem!

Saudades da tua energia e boa disposição. Mil beijosssssssss

E*

. disse...

Apaguei o teu comentário sem querer. O teu e outros três. Buáá. Afinal manter a privacidade dá nisto. Lol. Luz

Mocho Falante disse...

é um espectáculo!!!!!!

Beijos

Caracoleta disse...

Linda, linda mesmo!

Mãe Frenética disse...

:) e :(

Beijos.

chiqui disse...

Eu A-D-O-R-O o chico, esta e todas as outras cancoes. Esta, e particularmente bem apanhada.
E invejo uma bloguer que faz jogging no Leblon, next to the great one...
beijos grandes d'uma america quase, quase a medida desta cancao ;))