3/17/2009

Delírios de uma mente enredada

E pronto. Também me apanharam nas malhas desse fenómeno dos nossos dias chamado Twitter. Na verdade fui lá ver como era. E tenho de dizer que, francamente, continuo a não entender a utilidade da coisa. Tal como tenho resistido bravamente a tudo o que é hi five, facebook, myspace e quejandos. Há uns tempos, enredaram-me num desses berbicachos de seu nome Tagged. Em meia-dúzia de dias tinha mais emails de malta desconhecida interessada em conhecer-me via tagged do que caracóis no quintal, e posso assegurar-vos que são muitos. Muitos, muitos mais do que os inúmeros e incontáveis em quatro anos de blogosfera. E perguntam-me vocês: por que raio estariam eles interessados em conhecer-me? Por causa dos meus lindos olhos? Por ser uma mulher interessante, culta e talentosa? Pelo meu intenso sex-appeal? Pois, inúmeros e incontáveis, a verdade é que não faço a mínima, pois a referida plataforma (é assim, parece-me, que chamam a estas redes sociais que, a meu ver, existem tão somente para nos fazer perder ainda mais tempo nos nossos já ultraent[orpe]up[ec]idos* quotidianos) não continha quase nenhum detalhe sobre a minha pessoa e, em vez da minha foto, arborava a imagem de um belíssimo céu blue velvet carregadinho de estrelas. Rapidamente me arrependi de ter engrossado as fileiras do tagged e tentei desinscrever-me. E eis que, surpresa!, no way! Não conseguia descobrir como sair da rede. Que rede anti-social, pensei. Tentei escrever-lhes, pedindo-lhes encarecidamente que me deixassem sair. Que não era louca, dizia. Que apenas estava ali por engano. Que tinha gente à minha espera lá fora, que dariam pela minha falta rapidamente e certamente contactariam as autoridades. Nada. Naveguei desalvorada de link em link procurando freneticamente a porta da saída sem contudo obter desta o menor vislumbre. Tomei então a decisão, algo arriscada, porém definitiva: denunciei aqueles emails como spam. E logrei ver-me livre do tagged.
Claro, não sei se eles não andem aí, algures, à coca. Esperando, escondidos, a mínima ocasião para me apanharem em falso. E pespegarem comigo na dita-rede, quem sabe se para todo o sempre. Mas, para já, sinto-me leve, solta. Recuperei, parece-me, a minha autodeterminação.
Porquê, então, ter-me deixado entwittar? Porquê??? Confesso que não sei. Talvez pelo mistério? Quiçá pelo status... A verdade é que não consigo mover-me lá dentro. Pareço um tuga de vacanças em Paris, tentando entender onde raios fica a correspondência para Pont-Neuf. Ou Gambetta. Entrando por um canal de saída e não compreendendo por que raios vêm todos na minha direcção como se andassem atrás de mim. E por falar em atrás de mim, alguém me explica quem são estes gaijos e gaijas que deram em seguir-me? E porque o fazem? Se em quatro anos de blogosfera nunca se dignaram visitar-me ou deixar-me um singelo comentário... Se nunca me viram mais gorda nem mais charmosa... Se não imaginam que tenho péssimo acordar e que é melhor não me dirigirem a palavra antes do pequeno-almoço... Se nem em pesadelos lhes passou algumas vez pelas cabecitas o comprimento das minhas postas nem o encaracolar dos meus raciocínios... O que me quererão eles? Terei eu de lhes dar algo em troca? Haverá saída? Terei eu cometido o deslize fatal? Serão eles do tagged e virão buscar-me? Eu já disse que não sou a pessoa que procuram!! Eu tenho amigos importantes! Influentes! Eles vêm buscar-me! Deixem-me ir!!! Deixem-me!!!.................................. Socoooooorroooo!!!!!!!....................................................................................


*esta é para ti, Monikyta

17 comentários:

Blubina disse...

Loooollll!
Já me aconteceu o mesmo mas não me lembro em que "plataforma"...Queria sair e não encontrava a saída :PPP Andei às voltas e ao fim de alguns dias consegui libertar-me daquilo!!!
Socorrrrooooooo!!!!

Mente Quase Perigosa disse...

Tou a ficar com medo...

Eu que já não entendia para que serve aquilo, agora acho que talvez seja melhor morrer na ignorância.

Anónimo disse...

esta nova tecnologia, mesmo à mão dos nossos dedos, melhor dizendo (escrevendo) é uma arma que se irá virar contra nós (não se virou já?, Uhm!!).

Vamos viver a nossa vida a correr, para ficarmos "pendurados" com alguém e para alguém que inventámos e que por sua vez nos inventou a nós???

Desligamos da vida e real e "vivemos"(?) a vida virtual. 'tô certo ou 'tô errado??? Socorrrrroooooo!!!!!!!

Monikyta disse...

loool para a[s] parte[s] q me toca[m] :P

Anda p aí mta gente insana q resiste a rabos de saia mas n a usernames novos. E nnc vi tamanha [à] vontade em usar coletes de força, virtuais... Eu sei bem a medicação que lhes falta, lol.

bj meu

Huckleberry Finn disse...

Realmente, eu sou me pergunto e nem me percebo como pude deixar uma mulher deste calibre escorregar-me das mãos.
Desculpas a todos os demais contáveis. Voltarei, com tempo e cabeça... untill then, GOOD NIGHT!
O huck parte hoje em busca do seu passado, à procura do seu futuro. um beijo e abraço a todos e todas. Eu não sou um gajo mau, o gajo bom é que está difícil de (re)aparecer.
SEJAM TODOS MT MAS MT MESMO ALEGRES E CONTENTES.
Huckysinho ainda a crescer pra VIDA.

Cool Mum disse...

Andaste por lá e não disseste nada?
Pois eu (e)s(t)ou twittfã e facebookfã. É tudo uma questão de peso, conta e medida. E de limitar o acesso aos nossos perfis.

estrela no weekend?

Tita disse...

Lollll
O que tu querias sei eu bem!! Heheheh era encontrar o presidente da republica heheheh
http://twitter.com/presidencia

Fujo de hi five, facebook, myspace e tudo o que são redes grandes demais para uma minúscula como eu lolll

flores disse...

Percebo-te: 140 caracteres é demasiado limitador. :)

ptc disse...

nunca andei pelo twitter, nem sei ao certo o que é,mas pela quantidade de posts, que li ultimamente, que o referem, estou quase a ir procura-lo.

se a curiosidade matasse...

Madalena disse...

Eu nem consigo chegar aos links! Devo ser mesmo burrinha de todo!!! lol
Beijinhos

Luz de Estrelas disse...

Eu estou no facebook e não percebo nada daquilo. Sinto-me um bocado claustrofóbica qdo lá entro. Não me cativam muito este género de serviços, confesso.

Cristina disse...

Ainda não fui ao twitter. É preciso tempo e não tenho muito...


Cristina

Sinapse disse...

Delicioso!!!!! adorei!


... eu estou no facebook e foi uma (boa) descoberta! já o twitter ... não me convence!

Loira disse...

Eu estou no hi5, no facebook, no tagged e no twiter... demoro a experimentar, mas acabo por me deixar levar. Twitar, ainda não twitei. No facebook tb ainda n fiz nada. O tagged é assim o pior onde me podia ter registado, pq recebo tb dezenas de mails, alguns mesmo a pedir que responda aos chamados. Olha, sinto-me refém tb :S.
beijo

escarlate.due disse...

ahahahahhahhahah
AHAHAHAHHAHAHAHAH
és a minha salvação Calamity!!!!
já estava a pensar aqui para os meus botões (ups... não tenho botões... tb não interessa, adiante) que algo de errado se passava comigo "fiquei burra de repente"
é que não consigo perceber a piadinha daquilo, nem um cadito de piadinha
salvaste-me da auto-destruição!!! afinal não sou só eu!! yyyeeeesssssss
há pelo menos mais uma gaja (okok senhora gaja) que pensa como eu!!!
se calhar é porque também não podem falar com ela antes do pequeno almoço
lol

Amélia do Benjamim disse...

LOOOL para a Flores... o melhor comentário - lido o post - dos últimos tempos
Xa-me rir!
LOOOLLL

Tânia disse...

lolol
Bem, tenho de confessar que o facebook me convenceu, precisamente por não haver (pelo menos até ao momento) assédios imbecis. É tipo um msn retardado :P
Já o twitter não me convence. OU então deixo de trabalhar para estar ali a conversar com o mundo.