1/09/2008

Um dia

ainda hei de aprender a preservar-me de certas e determinadas agruras. Agruras, sim. Não me surge vocábulo mais adequado ao sentimento a que me refiro. Se há algo que me irrita na minha pessoa é o facto de deixar que certos assuntos me tirem o sono. Literalmente. Sou aquilo que se chama uma esponja. E, por mais que me auto-eduque, repetindo a mim própria até à hipnose frases como "não te deixarás atingir por veneno alheio", "não sofrerás por quem não vale vinte e cinco tostões em moeda nova" (sim, porque em moeda antiga, sempre vale a relíquia, certo? agora tentem lá converter vinte e cinco tostões em aéreos, a ver o que a coisa dá...), a verdade é que a matéria de que sou feita me torna absolutamente susceptível, qual terra fértil na qual poderá nascer sem ser semeada a planta mais daninha e em dois tempos ocupar todo o espaço, pondo em risco as espécies protegidas mais belas e preciosas que tanto trabalho haviam dado a brotar.
Liberto esta posta na esperança de que os sentimentos desagradáveis e pensamentos carregados de más energias que me têm inundado o campo nestes dias se dissolvam na imensa blogosfera, transitem para o espaço intergaláctico, se transmutem e apenas regressem sob a forma de centelhas multicolores de amor e bem-aventurança.
Inúmeros e incontáveis: se souberem de algum curso que ensine as esponjas a transformar-se em espelhos, avisem a Calamity, tá?..

11 comentários:

Anónimo disse...

Um beijo e muito colinho para ti que és uma boa menina

. disse...

Não te posso ajudar pq também sou feita de matéria esponjosa. Cismo, matuto, deixo-me atingir, sobretudo qdo é injusto, fruto da tal maldade ou azia alheia. Tb tento destilar na escrita há muitos anos, mais recentemente nas postas. Não tenho evoluido senão num plano: nos últimos dois anos mandei impiedosamente três pseudo-amigos à merda. A esponja tanto absorveu que afogou perdões. Que se fodam. Beijos. Luz de Estrelas.

Mariah disse...

Querida Calamity esse curso dava-me cá um jeito!! Sou capaz de andar semanas a remoer quando me sinto injustamente atingida, mesmo que ache que a pessoa em causa não vele vinte e cinco tostões.
Beijos

125_azul disse...

Ah querida, quem dera que pudessemos mudar a nossa natureza assim, com cursos ou estalar de deos... Lembra-te qual é o objectivo dos merdosos: fazerem-te ficar a sentir merdosa também. Sabes que mais? Incha, desincha e passa. Dói. Hoje, muito. Amanhã menos... Desejo que a blogoesfera tenha cumprido o teu plano de dissolver as mágoas e que de quebra, te tenha enchido de miminhos! Beijoca, ainda bem que gostaste da ayurvédica e também te gosto muito, muito. O filho da caixinha manda beijo lambuzado de agradecimento e se soubesse falar, diria: Tia Calamity, caga neles.

Mãe Frenética disse...

Qdo souberes desse curso, avisa sim?

:(

Há-de melhorar, pq passar duvido mto...

calamity jane disse...

Oh Fren, tu na minha casa e eu na tua ;-) heheheh

patrícia disse...

quando tirares o curso, ensinas-me, sim?

Beijitos

Caracoleta disse...

Pois...nessa materia nao te posso ajudar. Também tenho no meu curriculum muitas noites perdidas por gente de merda mas normalmente ao fim de umas (muitas) noites de insonia corro com essas merdas da minha vida!
Beijo

Cool Mum disse...

Um abraço. Não sei mais que diga.

Ck in UK disse...

Oh Calamitosa, como te entedeo pa! Es tu e eu porra. Berro e so mesmo da boca pra fora, pq depois somos umas nhonhos (com acento nos OOOOs) e quem chora e se chateia somos so nos e nao os que nos afectam....

Porra, pa.

Mocho Falante disse...

Olha sou exactamente assim como tu, por isso estou bem a precisar de um espelho, se encontrares por aí a fórmula lembra-te de mim

beijocas