1/31/2008

Carta

Ao Exmo Senhor que se Encontra lá nas Alturas
(creio que no 457-C)

Venho por este meio solicitar-lhe se digne enviar-me alguma iluminação divina que não lhe faça falta ou, na impossiblidade de o fazer, que encarregue um dos seus angélicos funcionários de entrar em contacto comigo ou ainda, caso também esta solução viesse causar transtorno, que me faça chegar documentação explícita no sentido de esclarecer-me sobre a situação que passo a expor:

Desde que me lembro de ser gente tenho tentado ser gentil e justa para com os meus semelhantes e inclusivamente para com alguns dos meus diferentes. Refiro-me a cães, gatos, tartarugas e borboletas, enfim, à maioria dos animais nossos amigos, embora deva confessar que ainda não atingi o nível de progresso espiritual que me permita optar pelo vegetarianismo a tempo inteiro. Admito também ter, em noites de Verão, atentado contra a vida de uma outra melga que insistia em sugar o meu tão precioso líquido sanguíneo, tão necessário à minha sobrevivência, para além de privar-me das minhas tão necessárias horas de repouso, essenciais ao meu residual equilíbrio psicológico.

Contudo, e apesar desses episódios deploráveis da minha existência pelos quais desde já me penitencio, esforço-me todos os dias para evoluir tanto no meu âmago quanto na relação com o que me rodeia e penso sinceramente que não me tenho portado muito mal. Diria também que, mesmo em tempos em que não era tão atinadinha, nunca agi de molde a prejudicar quem quer que fosse e se porventura alguma vez o fiz, foi certamente sem intencionalidade, fruto de alguma imaturidade, inconsciência, ou incapacidade de medir as consequências dos meus actos. Estou certa porém, de que jamais causei dano de maior. A cada vez que me comportei de forma leviana, irresponsável ou inconsequente, fui invariavelmente eu e só eu a arcar com os prejuízos das minhas acções, exceptuando talvez uma ou duas vezes em que magoei os que mais amava, como os meus pais, mas acredito que todos os filhos o fazem, num momento ou outro do seu percurso pelos tortuosos caminhos do crescimento. Estou em crer que o Senhor não iria querer acertar contas comigo devido a um ou outro pequeno desvario próprio da idade, que eles mesmos já me perdoaram há décadas atrás e pelos quais julgo já ter pago a minha dívida.
É por tudo isto, Senhor, que venho, com toda a humildade e respeito que devo a V/ Alteza Majestosa, perguntar-Vos, o que raio fiz eu para merecer isto?

A resposta, como já referi acima, poderá ser-me facultada pela via que V/ Eternidade Divina julgar mais apropriada, pois, modéstia à parte, V/ Bondade Celeste logrou brindar-me com apreciável QI, pelo que penso ser capaz de atingir mensagem de carácter subliminar, caso V/ Essência Etérea opte por esclarecer-me via sonho, visão ou viagem astral permitindo insight sobre a vida anterior, dado que me parece evidente, dados os factos expostos no parágrafo anterior, situar-se aí a razão para este meu Karma, o qual me vem acompanhando já há umas décadas valentes.
Agradecia também me fosse outorgada, naturalmente na ocasião considerada adequada por V/ Altura Inatingível, informação relativa ao prognóstico da situação acima exposta. Trocando por miúdos: Até quando, Senhor, durará este meu castigo?

Sem mais de momento, na expectativa da V/ Mui Prezada e Sempre Oportuna resposta

Subscrevo-me com todo o respeito, consideração e estima que me é possível na minha posição de mero e insignificante ser humano e pedindo desde já as mais humildes e esmeradas desculpas pelo tempo que possa ter usurpado a V/ Elevadíssima Agenda

Calamity Jane

7 comentários:

Pitanga disse...

O ocupante do 457-C manda dizer que as linhas estão ocupadas e manda que tente outra vez mais tarde.

ASS; A Secretária do "Homem" Lá de Cima".

Pitucha disse...

Ui, a lista de espera para resposta a missivas deste género é longuíssima! Eu sei do que falo (estou à espera, à espera, à espera...)
Coragem!
Beijos

125_azul disse...

Olha que se te queixas Ele ainda te manda uma praga de gafanhotos ou algo assim... então vais falr de Karma com o nosso Altíssimo? Não sabes que isso é coisa do Altíssimo dos hindus? Já percebi que andas mesmo prejudicada! Beijos e bom carnaval. Marcamos uns copos?

patrícia disse...

:(
pois... eu tb tinha umas questões dessas...

bjinhos

. disse...

Karma nada. CJ, digo-te eu que sou assim parecida: chega de achar que a bondade atrai coisas boas. O que atrai coisas boas é mesmo o alto astral, misturado com uma certa arrogância. Nunca te aconteceu teres algo de muito bom na tua vida e ficares com medo de o perder por achares que não o mereces? Aposto que sim. Aí é que está o erro. Passemos a pensar: eu quero e vou ter, embora não saiba quando. Escreve uma carta a ti própria. Faz a promessa de que chegarás lá. Se o caso for saúdes e afins, já não se aplica. Aí só pela joie de vivre e pela fé. Um beijo. Luz

Madalena disse...

Puseste um carimbo a dizer Urgente?
Espero que consigas resposta e, olha, desculpa lá, mete-lhe uma cunha por mim, tá?
Mil beijinhos terrenos de uma criatura que até de pecado tem nome... Mas de arrependimento também....

Mãe Frenética disse...

Eu nem sei se fique mais arrepiada com a tua carta se com a resposta da Estrelinha.
É q, minha filha, nos ate podemos nao merecer, mas o alto Senhor ai de cima ja nos acha tao boazinhas q os males manda-nos para nós, q a gente ate aguenta e nem da mto mau tempo, nem atira bombas nem nada.