1/13/2009

Obrigada

minha índia do outro lado do Atlântico. Sempre soubemos que a nossa amizade era para toda a vida. 16 anos sem nos vermos... e falar contigo foi a confirmação da dimensão transcendente da existência. Obrigada por me recordares daquilo que o meu íntimo sabe mas que sou por vezes demasiado preguiçosa para pôr em prática. Obrigada por, como o rei Mufasa, me "lembrares de quem sou". Obrigada por brilhares no meu firmamento cumprindo o que combinámos, no longínquo verão de 1983 (!!!). A canção (seria o seu nome mera coincidência?) está hoje mais viva do que nunca.

Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.

(Canção Da América de Milton Nascimento e Fernando Brant)

2 comentários:

Monikyta disse...

obrigada cj, pela música q adoro, pela alegria q contagiaste (sem flu, sem blues :P)

bj meu

Tita disse...

Bjs gandes!